Arquivo mensal: dezembro 2008

>New Years Day

>

Uma bela música para a virada. No bom sentido.

Ps.: Este post é programado. Não sou do tipo que fica postando no melhor da festa.

Anúncios

>Quando a fome bate….

>

Esses intrépidos gordinhos e suas máquinas maravilhosas. Praticamente um Homer Simpson da vida real.

Vi no GòórDuh

>Israel Sapatinho de Fogo Coisa de Deus

>

Eita Glória! Aleluuuiiiaaa!

>Impressionante

>

Se fosse em 1920 eu juro que queimava esse cara!

>Cultura inútil: A verdade sobre o Chester!

>

A ceia de natal já passou mas não a minha dúvida sobre o que seriam os tais “chesters” tão vendidos e assados nesta época do ano. Um tipo de frango que só tem peito? Um golpe de marketing bem dado que disfarça o frango nosso de cada dia? Alguém já viu um chester sem ser embalado à vácuo? Estas eram algumas das dúvidas que me perseguiam durante alguns anos, mas que, graças ao grande irmão Google, foram sanadas com alguns poucos cliques. Depois do post de grande sucesso sobre quem verdadeiramente nasceu primeiro, revelo agora para vocês: A verdade sobre o Chester!
2009 chegando, a gente vai se preparando para a ceia do ano novo. Aquele exagero de comida que claramente não será consumida toda de uma vez. O resultado é o famoso requentado do dia 1º de janeiro.

Há muito no Brasil o peru era a estrela do ritual gastronômico que comemora o novo ano ou o Natal. No entanto, de 1982 para cá, uma outra ave passou a ser a preferida das donas-de-casa.

A marca surgiu da palavra inglesa chest (peito). A inclusão do sufixo er dá ao termo um sentido aumentativo comparativo. Por exemplo, se em inglês eu quero dizer “o cachorro é mais esperto que o gato” eu pego o adjetivo smart (esperto) e acrescento o er. A frase então fica assim “the dog is smarter than the cat”. Por isso podemos dizer que o nome da marca sugere que o seu produto é mais chester (peitudo) que o frango dos outros. O nome tem a ver com as características desse galináceo, que apresenta maior desenvolvimento do peito e das coxas.


Curiosidades de Sobremesa:

1 – O Chester foi introduzido no mercado brasileiro pela empresa Perdigão.

2 – Não se trata de um animal transgênico, como muitos pensam. Ele é sim resultado de vários cruzamentos nos quais há um rígido controle genético das características a serem compartilhadas (melhoramento genético). É como se escolhêssemos um grupo de pessoas altas e as colocássemos para procriar, por exemplo. Seus filhos certamente seriam altos, não é verdade? No caso do Chester foram escolhidos galos e galinhas de raças que têm maior volume de carnes nobres. O resultado é uma ave com 70% a mais de massa no peito e nas coxas.

3 – Sabe por que hoje em dia o Chester é mais consumido do que o peru? Simples: além de mais barato, a ave não é tão grande como o peru, servindo com precisão o número médio de pessoas que compõem uma família.


Minhas noites de sono estão salvas graças ao Sedentário

>Retrospectiva 2008

>

O ano vai chegando ao final e como não poderia deixar de ser publicaremos, assim como tantos outros blogs, uma retrospectiva relembrando os momentos mais importantes do ano. Mas de uma maneira um pouco diferente do convencional revival de notícias… Uma retrospectiva com arte, criatividade e bom humor baseada em um diálogo como de dois repentistas, expresso sob a forma de literatura de cordel.


RETROSPECTIVA 2008 – Os principais fatos que marcaram o ano
Peleja: Heleno Alexandre (Sapé-PB) e Allan Sales (Recife-PE)

“(Heleno)
Está terminando o ano
Com tristes e satisfeitos
Eleições municipais
Novatos e reeleitos
Com voto do povo seu
Nosso Brasil elegeu
Mais de cinco mil prefeitos

(Allan)
E lutou pelos direitos
O ano de 48
Mas a ONU não tem força
Ante um império afoito
Nesse ano se renova
50 da Bossa Nova
Que é de 58

(Heleno)
Ronaldo sem ser afoito
Assinou com do Timão
Pela Copa do Brasil
O troféu é do Leão
Equipe pernambucana
Já na Sulamericana
O Inter foi campeão

(Allan)
Ronaldo fez confusão
Foi aquele ti ti ti
Pois confundiu umas bolas
Provocando um frenesi
Encheu a lata de cana
E depois da carraspana
Foi encarar travesti

(Heleno)
Já um pedreiro daqui
Matou irmã à pauladas
Tremeu a terra em Sobral
A Lei Seca nas estradas
Nas olimpíadas da China
Marta muitas lágrimas mina
Nas chances desperdiçadas

(Allan)
O Diego deu cagadas
A Daiana amarelou
A irmã do viadinho
Nem procheiro ela chegou
Mas a Maggi saltadora
Essa sim foi vencedora
E o ouro ela levou

(Heleno)
Um caos a crise gerou
No país americano
A saudade de Leandro
Famoso cantor goiano
Sertanejo felizardo
Dez anos de Leonardo
Sem seu irmão esse ano

(Allan)
Foi Dercy pra outro plano
Com Valdick ela encantou-se
Foram ver o Criador
O Brasil emocionou-se
Mas a bolsa americana
E sua grande gana
Numa queda que lascou-se

(Heleno)
Na Igreja revelou-se
Depois do Padre Marcelo
A fama botou no topo
O Padre Fábio de Melo
Pra o esporte ter mais crédito
Brasil ganhou ouro inédito
Na natação com Cielo

(Allan)
A Igreja lhe revelo
Não sou de religião
Nem um padre nem pastor
Nem Jesus e nem o Cão
Pois Henfil já me dizia
Nenhuma teologia
Nos trará libertação

(Heleno)
A clonagem de cartão
Com ex-prefeito envolvido
Muitos gestores cassados
Por traição ao partido
Sem desculpa e sem perdão
Por atraso de pensão
Celso Pitta foi detido

(Allan)
Cunha Lima emperdenido
Deve ser e bem cassado
Pois comprou uma eleição
Por enquanto está julgado
Só se for meter a peia
Só botando na cadeia
Um fuleiro tão safado

(Heleno)
Sem sucessor do seu lado
Bush deixa a presidência
Concurso na Petrobrás
Visto com eficiência
Serasa registra aumento
De mais de sete porcento
No índice de inadimplência

(Allan)
Obama na presidência
Não mudou nada legal
Botou a mulher de Bill
Mas deixou um general
Deixou mesmos militares
Os falcões e seus pares
No Oriente é bestial

(Heleno)
Fábio Junqueira de um mal
Morreu mas era sadio
A dengue fez muitas vítimas
Principalmente no Rio
Os pinguins no Pólo Norte
Se registrou ate morte
De alguns por queda de frio

(Allan)
Milícias dão calafrio
Lá no Rio de Janeiro
Chuva em Santa Catarina
Causando grande salseiro
Tanto crime se revela
Como Eloá e Isabella
Teve morte o ano inteiro.”

Heleno Alexandre
Publicado no Recanto das Letras em 17/12/2008
Código do texto: T1341254

>Onde você guarda seu racismo?

>

Outro dia recebi um e-mail do amigo Carlos Eduardo Marques, redator do blog Abanjá comentando sobre bons textos que havia lido sobre a questão do racismo. Os textos aos quais se refere foram publicados no blog Liberal, Libertário, Libertino do Alex Castro. Dei uma peramblogada por lá e constatei que são textos realmente muito bons, não apenas os citados por Carlos mas vários outros elencados em um tópico denominado raça.

Como afirma o próprio Alex:

“Alguém acha mesmo que as portas do racismo já não estão abertas? Que a mentalidade racista já não está instalada? Que o racismo não se instala no Brasil até que uns negros (agressivos ou se fazendo de vítima) começam a usar camisas “100% Negro” e falar em cotas universitárias? Que foi NESSE MOMENTO que a mentalidade racista se instalou? Sério mesmo? A mentalidade racista está instalada (e muito confortável, obrigado) desde que se escravizou o primeiro índio. As portas do racismo nunca estiveram nem entreabertas: estão escancaradas há 500 anos.”

Sem dúvida um assunto polêmico, mas que deve ser encarado de frente. É importante que seja discutido. O que vejo por aí, como por exemplo no emblemático caso das cotas em universidades, são pessoas falando que são a favor ou contra sem nem terem pensado sobre o assunto. Afirmação sem reflexão. Que sejam a favor ou contra, mas que tenham argumentos para tanto.

Foto de Gonçalo Pereira: racismo

Completando com outra afirmação de Alex:

“Em uma sociedade racista e desigual como o Brasil, afirmar não ver raça, não ligar pra raça, que raças não existem, que isso não tem importância, “que besteira você se importar com isso”, etc, significa na prática tomar partido racialmente ao se aliar com a hegemonia invisível que *precisa* desse tipo de negação para sobreviver e prosperar. Não existe neutralidade possível: negar raça já é uma afirmação política que te coloca em um dos lados bem definidos de uma briga antiga. Negar raça já é intrinsecamente racista.”

Pra quem se interessar, vale muito a pena ler os textos.

>Frases antológicas

>

“Existem três jeitos de fazer as coisas: o jeito certo, o jeito errado, e o meu jeito, que é igual ao jeito errado, só que mais rápido.” (Homer Simpson)

>A evolução dos aparelhos de tv

>

>Torne-se uma celebridade em suas fotos

>

Todos já devem ter visto em algum lugar aqueles suportes em formato de pessoas, bichos ou qualquer outra coisa, onde encaixamos a cabeça em determinados locais para que sejamos fotografados. Vi um desses na Casa de Cultura, em Recife. Isso foi em 2004. Nem sei se ainda está por lá. No caso se tratava de um cangaceiro. Quem colocasse a cabeça no buraco ali existente poderia se sentir o próprio Virgulino Ferreira.

Na internet existem milhares de sites que oferecem ferramentas interessantes para edição de fotos no estilo enunciado acima. Um dos mais completos, sem dúvida, é o Face in Hole. A oferta de molduras para suas fotos é imensa. Vai desde atores, esportistas e músicos a celebridades instântaneas e descartáveis. É possível, por exemplo, colocar seu rosto no lugar do de Jim Morrison, Hendrix, Amy Winehouse, Stallone (como Rambo ou Rocky), Chuck Norris, Shrek e até do Bozo e Tiririca.

O site tem um funcionamento muito simples. Basta carregar uma foto que você tenha em seu computador, ajustar o tamanho e pronto.

O site conta ainda com uma área onde os usuários podem sugerir novas molduras. E tais acréscimos acontecem com frequência, o que o torna um site dinâmico e sempre interessante.