Arquivo mensal: fevereiro 2010

>Tirinha de Domingo – Recruta Zero

>

Anúncios

>ROUBOlation

>No hit parade de Brasília: o ROUBOlation.
“Bota a mão na carteira que vai começaaaar…”

Em ano de eleição só dá prometation, tion, tion!
Tragicômico.

>A sangue frio

>Prestem atenção, a seguir uma aula de autocontrole.

Isso que é manter a austeridade!

>Frases antológicas – Thomas Mann

>

Thomas Mann foi um romancista alemão. É considerado por alguns como um dos maiores romancistas do século XX, tendo recebido o Nobel de Literatura de 1929. Entre suas obras destacam-se: “Sua Alteza Real”, “Morte em Veneza”, “A Montanha Mágica”, “José e seus Irmãos”, “As Cabeças Trocadas” e “Doutor Fausto”.

Frases:

“Aquilo a que chamamos felicidade consiste na harmonia e na serenidade, na consciência de uma finalidade, numa orientação positiva, convencida e decidida do espírito, ou seja na paz da alma”

“Trago em mim o germe, o início, a possibilidade para todas as capacidades e confirmações do mundo”

“Certamente é bom que o mundo conheça apenas a obra bela e não as suas origens nem as condições em que foi gerada; pois o conhecimento das fontes de onde provém a inspiração para o artista causaria frequentemente perturbação e espanto, neutralizando assim os efeitos da excelência”

“A glória em vida é algo problemático: é aconselhável não se deixar deslumbrar por ela, muito menos estimular”

“A felicidade do escritor é o pensamento que consegue transformar-se completamente em sentimento, é o sentimento que consegue transformar-se completamente em pensamento”

“O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever”

“A solidão mostra o original, a beleza ousada e surpreendente, a poesia. Mas a solidão também mostra o avesso, o desproporcionado, o absurdo e o ilícito”

“Para o desesperado, a partida não parece menos impossível do que o retorno”

“O tempo tudo clarifica e não há estado de espírito que se mantenha inalterado com o passar das horas”

“Uma das situações da vida mais cheia de esperanças é aquela em que estamos tão mal que já não poderíamos estar pior”

“A guerra é a saída covarde para os problemas da paz”

“Com o tempo, é melhor uma verdade dolorosa do que uma mentira útil”

“Só o amor, e não a razão, é mais forte do que a morte”

“A palavra, por mais contraditória que seja, preserva o contato: o silêncio isola-o “

“A mudança de costumes é o único meio de que dispomos para nos mantermos vivos e rejuvenescermos. É esse o objetivo da mudança de ares e do lugar da viagem de recreio.”

“Os animais não se admiram entre si. Um cavalo não admira o seu companheiro”

“O interesse pela doença e pela morte é apenas outra expressão do interesse pela vida”

“A beleza, como a dor, faz sofrer”

>Pra não perder o jogo…

>

Quem é que não faz uma mandinga nos jogos da copa? Usar a mesma camisa, assentar no mesmo lugar ou apenas uma reza.Todo brasileiro que gosta de futebol usa a mandinga para dar um empurrãozinho pra nossa seleção.

Aproveitando o ano de copa, a Nike (que lançou recentemente uma bela camisa) fez um filme intitulado Mandingas que fala dessa nossa mania. Se dá certo ou não, tanto faz. Mas que o filme ficou bacana, é certeza! Assista!

A produção é da FNazca e O2 Filmes.

Do Caligraffiti

>Comercial Honda

>Impressionante quando se mistura, lego, animação stop motion e um carro Honda…

Confiram AQUI
Isso sím é brickfilms!

>The Man Who Walked Around The World

>Bom apesar de não ser um grande apreciador desta bebida fina e requintada, sempre fui grande fã dos comercias do Johnnie Walker, por serem técnicamente sempre muito bem feitos.

O vídeo a seguir é um institucional da marca, e foi feito todo em plano sequência de mais ou menos 5 minutos, além é claro da fotografia maravilhosa e o sempre bom gosto dos comerciais da marca,além da impressionante história da empresa.Um tapa na cara de quem faz os tradicionais vídeos institucionais caretas.

>Desastres culinários

>

Dando continuidade ao assunto gastronomia, a dica é um blog que reúne divertidíssimos desastres da confeitaria. O Cake Wrecks mostra bolos mal feitos e/ou de mau gosto. É cada um…


Isso era um 9? Ou 6?


O bolo branco é um pedido de casamento. Mas está escrito errado! Ao invés de “Merry” deveria estar escrito “Marry”. Afe!

>Ah! Gianduia!

>

Semana passada descobri uma nova linha de gelatos no supermercado e resolvi experimentar. Ao começar a investigar os sabores me deparei com um tal de gianduia. Já tinha ouvido falar mas não fazia ideia do que vinha a ser, pensei comigo “deve ser uma fruta” e acabei deixando pra lá. Escolhi o tradicional limão e pronto.
Quando fui pesquisar, percebi que gianduia não é fruta. Não! Dei uma bola fora e agora venho compartilhar meu novo conhecimento (in)útil com os leitores do Peramblogando. Veja bem, a tal gianduia é uma pasta de avelã, amêndoa e chocolate que foi inventada no final do século XVIII na cidade de Turim, Itália. No princípio o alimento tinha um fim energético, porém com o passar do tempo adquiriu status de doce refinado. (agora eu descobri porque o picolé de gianduia era o mais caro do freezer!)

O gosto da pasta é forte e similar ao da Nutella, mas dizem os experts que não é a mesma coisa. A gianduia também não é um chocolate, na verdade ela apresenta esse ingrediente em sua composição. Sua forma mais comum é encontrada em diversos tipos de sobremesas como tortas, sorvetes, chocolates e mousses.

Ficou com água na boca? Este blog ensina a fazer um sorvete de gianduia. Parece bom!

Informações do Folha de Alphaville

>Disco da semana – Dookie

>“Dookie” (1994) – Green Day

Faixas:

1.”Burnout”

2.”Having a Blast”
3.”Chump”
4.”Longview”
5.”Welcome to Paradise”
6.”Pulling Teeth”
7.”Basket Case”
8.”She”
9.”Sassafras Roots”
10.”When I Come Around”
11.”Coming Clean”
12.”Emenius Sleepus”
13.”In The Ende”
14.”F.O.D.”
“Dookie” é o terceiro álbum do grupo formado por Billie Joe Armstrong (vocais e guitarra), Mike Dirnt (baixo) e Tré Cool (bateria) e um dos melhores, se não o melhor, trabalho de sua discografia, responsável por lançá-los ao estrelato.
Quatorze músicas muito semelhantes entre si. Esta pode ser a primeira impressão que o álbum passa. Ouvindo-o com mais calma percebemos que apesar de semelhantes cada uma das canções traz peculiaridades interessantes como as linhas de baixo em “She” ou “Longview”. Aliás, juntamente com estas, “Welcome to Paradise”, “Basket Case” e “When I Come Around” se tornaram singles de grande sucesso. O restante do álbum não deixa a dever, tendo “Burnout” como outra canção que facilmente teria sido bem sucedida como single.
Um som que lembra a adolescência, tanto de quem ouve como da própria banda. Hoje mais maduro o Green Day se dedica a letras mais sérias sem, no entanto, jamais renegar o passado e tudo o que “Dookie” significou.