Arquivo mensal: julho 2010

>Origem das espécies

>

Anúncios

>Como fazer um rap?

>

Siga as instruções:
1 – Deixe os dois vídeos carregarem um pouco
2 – Dê o play no 1º vídeo
3 – Quando o 1º vídeo estiver no segundo 0:12 dê o play no segundo vídeo.
Pronto!

>Frases antológicas: Benjamin Button

>

Mais uma vez um personagem de ficção aparece no post de frases antológicas. Desta vez o contemplado é Benjamin Button, personagem do conto “O Curioso Caso de Benjamin Button”, lançado em 1921 pelo escritor F. Scott Fitzgerald.
Em 2008 chegou aos cinemas tendo Brad Pitt como protagonista da história de um homem que nasce velho e vai ficando mais novo com o passar dos anos.
Frases:
“Nós temos de perder as pessoas que amamos. De qual forma mais saberíamos o quão importante elas são para nós?”

“Você nunca sabe o que está reservado para você.”

“Eu estava pensando em como nada dura, e como isso é uma pena.”

“Ninguém é perfeito para sempre.”

“Algumas pessoas nascem para sentarem na beira do rio… Algumas são atingidas por raios… Algumas tem ouvido para música… Algumas são artistas… Algumas nadam… Algumas entendem de botões… Algumas conhecem Shakespeare… Algumas são mães… e algumas pessoas… dançam…”

“Sua vida é definida pelas oportunidades … mesmo aquelas que você perdeu.”

“Você pode ficar irado como um cão raivoso da forma como as coisas aconteceram. Pode praguejar e amaldiçoar o destino, mas quando chega o fim, você tem que aceitar.”

“Todos podem seguir caminhos diferentes, mas todos vão para o mesmo lugar.”

“Ela me ensinou a tocar piano, e me ensinou o significado de perder alguém”

“Para o que vale a pena, nada é muito tarde, ou no meu caso muito cedo – para ser quem você quer ser. Não há tempo limite; você para quando quiser. Você pode mudar, ou ficar igual – não há regras para isso. Nós podemos tirar o melhor ou o pior disso. Eu espero que você tire o melhor. Eu espero que você veja coisas que te deixem sobressaltada. Espero que você sinta coisas que nunca sentiu antes. Eu espero que você conheça pessoas com um ponto de vista diferente do seu. Eu espero que você viva uma vida que se orgulhe. Se você achar que não está acontecendo, eu espero que você tenha a força para recomeçar tudo de novo.”

“É relaxante, confortável, saber que quem amamos estão dormindo nas suas camas, onde nada as pode magoar.”

“Queria ter podido lhe dar boa-noite. Queria ter podido te levar ao primeiro dia de aula. Queria estar presente para poder lhe ensinar piano. Queria ter podido dizer para não ir atrás do garoto. Ter podido abraçar você numa hora de dor. Queria tere podido ser seu pai. Nada que eu fizer vai poder substituir isso.”

“Sou cego de um olho, não ouço muito bem.. tenho espasmos musculares e tremores continuos, as vezes perco a linha do pensamento… Mas sabe de uma coisa? Deus tem me lembrando sempre da sorte que tenho por estar vivo”

“Esta é minha ultima vontade em testamento. Não tenho muito pra deixar, algumas posses e pouco dinheiro. Vou deixar esse mundo da mesma maneira que cheguei, só e sem nada. Tudo que tenho é minha história e estou escrevendo enquanto me lembro. O meu nome é Benjamin, Benjamin Button.”

“A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás mas só pode ser vivida olhando-se para frente.”

“E em uma tarde, eu conheci a pessoa que mudou a minha vida para sempre.”

“Eu só quero me lembrar de como somos agora.”

“Não me lembro do nome dela… Acho que era… Ou… A verdade é que as pessouas que mais marcam nossas vidas, são as que esquecemos os nomes.”

>Bêbado faixa preta

>

>Pink Turtle no Brasil!

>

Atenção de fãs de jazz! Nos próximos dias chega ao Brasil a banda francesa Pink Turtle. Não é a primeira vez que os músicos tocam aqui mas é outra oportunidade prestigiar o som dos caras. Quem já foi, vá de novo e quem não foi deve ir.

O festival internacional I Love Jazz é o responsável pela vinda do Pink Turtle ao país. As apresentações acontecem nos dias 01/08 em Belo Horizonte, 05/08 em São Paulo, 06/08 em Brasília e 07/08 no Rio de Janeiro.

O repertório da banda é composto por regravações de alguns clássicos da música pop e do rock. O som é bastante divertido e as novas versões (na maioria das vezes) são bem diferentes das canções originais.

Como aperitivo aqui vão duas ótimas versões:

1. Walk on the wild side (de Lou Reed)

2. Smoke on the water (do Deep Purple)

Bom demais!

Se quiser ouvir outras faixas, clique aqui

>Disco da semana – White Blood Cells

>

“White Blood Cells” (2001) – The White Stripes

Faixas:

1.”Dead Leaves and the Dirty Ground”
2.”Hotel Yorba”
3.”I’m Finding It Harder to Be a Gentleman”
4.”Fell in Love With a Girl”
5.”Expecting”
6.”Little Room”
7.”The Union Forever”
8.”The Same Boy You’ve Always Know”
9.”We’re Going to Be Friends”
10.”Offend in Every Way”
11.”I Think I Smell a Rat”
12.”Aluminum”
13.”I Can’t Wait”
14.”Now Mary”
15.”I Can Learn”
16.”This Protector”
“White Blood Cells” é o terceiro álbum do duo The White Stripes, formado por Jack White (guitarra, piano e vocais) e Meg White (bateria e vocais de apoio).
Um disco longo e por isso mesmo não abordaremos todas as suas faixas. Comecemos então pela primeira: “Dead Leaves and the Dirty Ground”. Essa foi a primeira canção dos Stripes que me chamou a atenção. Como apenas uma guitarra e uma bateria eram capazes de produzir um som tão “cheio”? Um belo começo de trabalho, seguido pela boa “Hotel Yorba” e outra ainda melhor, “I’m Finding It Harder to Be a Gentleman”.
A quarta faixa, “Fell in Love With a Girl” alavancou a careira da banda, tanto pelo ótimo video-clipe, quanto pela canção propriamente dita, com seu ritmo acelerado e extremamente contagiante.
Entre as demais faixas destacaria ainda a tocante “The Same Boy You’ve Always Know”, com letra incrível. Bela também é a singela “We’re Going to Be Friends”. “Offend in Every Way” é muito simples, mas também muito eficiente. Rock de alto nível. E por fim “Now Mary”, outra grande canção.
Um disco exemplar. Um pouco extenso mas de agradável audição.

>Tirinha de Domingo – Um sábado qualquer

>

>Dá gosto de trabalhar

>

Imprimir sua marca pessoal no espaço de trabalho proporciona maior conforto ao ambiente profissional. Seja um grande escritório, uma pequena sala ou um cantinho da casa, o importante é fazer com que o lugar seja adequado para as atividades desenvolvidas. A seguir, ótimas sugestões retiradas do TIB (their inspiration blog) seguindo os mais variados estilos.






>The time is now

>Propaganda bem legal da Nike. Para os fãs de basquete, de animação e de comerciais inovadores.

>Frases antológicas: Santos Dumont

>

Alberto Santos Dumont foi um aeronauta e inventor brasileiro. É considerado por muitos como o pai da aviação, tendo sido o inventor do dirigível, do avião e do ultraleve.
Frases:

“Há um ditado que ensina “o gênio é uma grande paciência”; sem pretender ser gênio, teimei em ser um grande paciente. As invenções são, sobretudo, o resultado de um trabalho teimoso, em que não deve haver lugar para o esmorecimento”.

“Nós, os fundadores da locomoção aérea no fim do século passado, tínhamos sonhado um futuroso caminho de glória pacífica para esta filha dos nossos desvelos. Lembro-me perfeitamente que naquele fim de século e nos primeiros anos do atual, no Aero Club de França que foi, pode-se dizer “O ninho da aeronáutica” e que era o ponto de reunião de todos os inventores que se ocupavam desta ciência, pouco se falou em guerra; prevíamos que os aeronautas poderiam, talvez, no futuro, servir de esclarecedores para os Estados Maiores dos exércitos, nunca, porém, nos veio à idéia que eles pudessem desempenhar funções destruidoras nos combates”.

“Dormi três anos e no mês de julho de 1906 apresentei-me no campo de Bagatelle com o meu primeiro aeroplano”.

“Perguntar-me-á o leitor porque não o construí mais cedo, ao mesmo tempo que os meus dirigíveis. É que o inventor, como a natureza de Linneu, não faz saltos; progride de manso, evolui. Comecei por fazer-me bom piloto de balão livre e só depois ataquei o problema de sua dirigibilidade. Fiz-me bom aeronauta no manejo dos meus dirigíveis; durante muitos anos, estudei a fundo o motor a petróleo e só quando verifiquei que o seu estado de perfeição era bastante para fazer voar, ataquei o problema do mais pesado que o ar”.

“A questão do aeroplano estava, havia já alguns anos, na ordem do dia; eu, porém, nunca tomava parte nas discussões, porque sempre acreditei que o inventor deve trabalhar em silêncio; as opiniões estranhas nunca produzem nada de bom”.

“Foi um espanto geral. Todo mundo queria saber como era o aparelho”.

“Continuando na minha idéia de evolução, dependurei o meu aeroplano em meu último balão, o n.º 14; por esta razão, batizaram aquele com o nome de 14-bis. Com esse conjunto híbrido, fiz várias experiências em Bagatelle, habituando-me, dia a dia, com o governo do aeroplano, e só quando me senti senhor das manobras é que me desfiz do balão”.

“Logo depois, em 23 de outubro, perante a Comissão Científica do Aero Club e de grande multidão, fiz o célebre vôo de 250 metros, que confirmou inteiramente a possibilidade de um homem voar”.

“Esta última experiência e a de 12 de julho de 1901, me proporcionaram os dois momentos mais felizes de toda a minha vida”.

“Eu não quero tirar em nada o mérito dos irmãos Wright, por quem tenho a maior admiração; mas é inegável que, só depois de nós, se apresentaram eles com um aparelho superior aos nossos, dizendo que era cópia de um que tinham construído antes dos nossos”.

“O que diriam Edison, Graham Bell ou Marconi se, depois que apresentaram em público a lâmpada elétrica, o telefone e o telégrafo sem fios, um outro inventor se apresentasse com uma melhor lâmpada elétrica, telefone ou aparelho de telefonia sem fios dizendo que os tinha construído antes deles?!”

“A quem a humanidade deve a navegação aérea pelo mais pesado que o ar? Às experiências dos irmãos Wright, feitas às escondidas e que estavam tão ignoradas no mundo, que vemos todos qualificarem os meus 250 metros de “minuto memorável na história da aviação”, ou é aos Farman, Bleriot e a mim que fizemos todas as nossas demonstrações diante de comissões científicas e em plena luz do sol?”

“Haverá hoje, talvez, quem ridicularize minhas predições sobre o futuro comercial dos aeroplanos. Quem viver, porém, verá”.

“Estou disposto a oferecer, em concurso, um prêmio de 10 mil francos para o melhor trabalho sobre a interdição das máquinas aéreas como arma de combate e de bombardeio.”

“O balão parece estar parado no ar enquanto a terra voa lá embaixo.”
“Os contratempos e desastres são qualidades negativas.”
“Os pássaros devem experimentar a mesma sensação, quando distendem suas longas asas e seu vôo fecha o céu… Ninguém, antes de mim, fizera igual.”
“Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la.”
“Eu naveguei pelo ar.”
“As coisas são mais belas quando vistas de cima.”