Arquivo mensal: outubro 2010

>Tirinha de Domingo – Mafalda

>

Anúncios

>Frases antológicas: Monteiro Lobato

>

José Bento Renato Monteiro Lobato foi um dos mais influentes escritores brasileiros do século XX. Foi um importante editor de livros inéditos e autor de importantes traduções.
Entre suas obras destacam-se “A menina do narizinho arrebitado”, “Urupês”, “Cidades mortas”, “Ideias de Jeca Tatu”, “Mr. Slang e o Brasil”, bem como toda a coleção do “Sítio do Pica-Pau Amarelo”.
Frases:
“De escrever para marmanjos já me enjoei. Bichos sem graça. Mas para crianças um livro é todo um mundo.”

“Erro pensar que é a ciência que mata uma religião. Só pode com ela outra religião.”

“Eu me acho capaz de escrever para os Estados Unidos por causa do meu pendor para escrever para crianças. Acho o americano sadiamente infantil.”

“Tudo é loucura ou sonho no começo. Nada do que o homem fez no mundo teve início de outra maneira — mas já tantos sonhos se realizaram que não temos o direito de duvidar de nenhum.”

“O livro é uma mercadoria como outra qualquer; não há diferença entre o livro e um artigo de alimentação. Se o livro não vende é porque ele não presta”.

“Tudo vem dos sonhos. Primeiro sonhamos, depois fazemos.”

“Quem morre pelo seu país vive eternamente.”

“No Brasil subtrai-se; somar, ninguém soma.”

“Progresso amigo, tu és cômodo, és delicioso, mas feio…”

“Se quer viver feliz na América, não se mostre duro com os cães – nem desrespeitoso para com a americana. São dois dogmas muito sérios.”

“Um país se faz com homens e livros. Minha visita aos monumentos de George Washington e Lincoln provou-me que a América tinha homens. Ter homens, para um país, é ter Washingtons e Lincolns, forças tão marcantes que sobre sua obra não pode a morte.”

“Se Chico Xavier produziu tudo aquilo por conta própria, então ele merece ocupar quantas cadeiras quiser na Academia Brasileira de Letras.”

“A coisa que menos me mete medo é o futuro.”

“Assim como é de cedo que se torce o pepino, também é trabalhando a criança que se consegue boa safra de adultos.”

“A mulher não é inferior nem superior ao homem. é diferente. No dia em que compreerdemos isso a fundo, muitos mal-entendidos desaparecerão da face da terra.”

“A natureza criou o tapete sem fim que recobre a superfície da terra. Dentro da pelagem desse tapete vivem todos os animais, respeitosamente. Nenhum o estraga, nenhum o rói, exceto o homem.”

“O verdadeiro amigo de um pintor não é aquele que o entontece de louvores; mas sim o que lhe dá uma opinião sincera, embora dura, e lhe traduz chãmente, sem reservas, o que todos pensam dele por detrás.”

“O certo em literatura é escrever com o mínimo possível de literatura. A mim me salvaram as crianças. De tanto escrever para elas, simplifiquei-me.”

>Pastor Pilão (peão da casa própria)

>

>Disco da semana – Freak Show

>“Freak Show” (1997) – Silverchair



Faixas:
1.”Slave”
2.”Freak”
3.”Abuse Me”
4.”Lie to Me”
5.”No Association”
6.”Cemetery”
7.”The Door”
8.”Pop Song for Us Rejects”
9.”Learn to Hate”
10″Petrol & Chlorine”
11.”Roses”
12.”Nobody Came”
13.”The Closing”
Em 1997 o Silverchair lançava seu segundo álbum, “Freak Show”. Na época a banda era formada por Daniel Johns (guitarra e vocais), Ben Gillies (bateria) e Chris Joannou (baixo).
O álbum ainda traz os ecos do movimento grunge. Algumas músicas ora lembram o Nirvana, outras o Alice in Chains e por aí vai. Entretanto, tal fato não desqualifica o trabalho. Ao contrário, ressalta a qualidade do material produzido por músicos tão jovens (todos na casa dos 18 anos).
Sem dúvida o grande destaque do álbum é a faixa 2, “Freak”. Executada continuamente tanto nas rádios quanto na MTV, ajudou a promover o álbum e o próprio Silverchair. Mas o álbum não se limita a “Freak”. Vale destacar também a faixa subsequente, “Abuse Me”.
Outra parte de grande efeito do álbum é a tríade “Cemetery”, “The Door” e “Pop Song for Us Rejects”, respectivamente faixas 6, 7 e 8. As demais canções ajudam a compor a atmosfera do álbum.
Um disco interessante de se ouvir, sobretudo se você conhece apenas o Silverchair pós “Neon Ballroom”. Se for este o caso, com certeza se surpreenderá com “Freak Show”.

>Tirinha de Domingo – Turma da Mônica

>

>Impressionante!

>

O trabalho do grupo Macula é excelente. Este, em especial, deixa qualquer indivíduo sem palavras. A altíssima qualidade das imagens alcançadas com um projetor beira a perfeição. Pra mim, uma obra-prima.
Só para esclarecer, a performance foi realizada em comemoração dos 600 anos da Astrological Tower Clock na cidade de Praga. Vejam:

The 600 Years from the macula on Vimeo.

Uma salva de palmas!!!!

>Frases antológicas: Abraham Lincoln

>

Abraham Lincoln foi o 16° Presidente dos Estados Unidos de março de 1861 até seu assassinato em abril de 1865. Ele liderou o país de forma bem-sucedida durante sua maior crise interna, a Guerra de Secessão, preservando a União e abolindo a escravidão.

Frases:
“Pessoas sem vícios têm poucas virtudes.”

“É melhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do quer falar e acabar com a dúvida.”

“Você precisa promover o seu próprio crescimento, não importa quão alto era o seu avô”.

“Não se pode construir o caráter e coragem retirando-se do homem sua independência.”

“O trabalho é mais importante e é independente do capital. O capital é apenas o fruto do trabalho, e não existiria sem ele. O trabalho é superior ao capital e merece a consideração mais elevada.”

“Num amplo senso nós não podemos dedicar, não podemos consagrar nem tornar este chão sagrado. Os homens corajosos, vivos e mortos, que lutaram aqui, o consagraram muito além do nosso pobre poder de acrescentar ou diminuir.”

“Se a escravatura não é má, nada é mau.”

“Os princípios mais importantes podem e devem ser inflexíveis.”

“Só tem o direito de criticar aquele que pretende ajudar”.

“Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser pôr à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder.”

“Pode-se enganar todas as pessoas por algum tempo e algumas pessoas durante todo o tempo. Mas não se pode enganar todo o mundo por todo o tempo.”

“Os que negam liberdade aos outros não merecem liberdade”

“O princípio moral é um título menos lucrativo do que os juros financeiros.”

“Tato é a capacidade de descrever os outros como eles julgam.”

“Democracia é o governo do povo, pelo povo e para o povo”.

“Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhorem nem levem em consideração as condições dos animais.”

“A maioria das pessoas é tão feliz quanto resolve ser”.

“Casamento não é o paraíso nem o inferno; é apenas o purgatório.

“Não estarei destruindo meus inimigos quando os transformo em amigos?”

“O voto é mais forte que a bala.”

>A palavra é: Jururu

>

Tenho certeza de que quase todo mundo já ouviu a expressão: “fulano está jururu…” ou ainda “por que você está jururu?”. A palavra é usada para denotar um estado de tristeza. Mas por que jururu? De onde veio isso?
Jururu vem do tupi yuru-ru, que significa pescoço pendido, dando impressão de ter perdido a alegria por estar de cabeça baixa, calado. Na passagem do tupi para o português, jururu tornou-se sinônimo de desanimado, de animar, do latim animare, antecedido do prefixo des, que indica negação, qualificando-se como particípio de desanimar.

>Os feriados comerciais

>

Que o Brasil é um país cujo calendário está repleto de feriados, não há como negar. Temos feriados festivos como o carnaval, religiosos como a Páscoa e os chamados comerciais, criados com o intuito de pegar uma carona em datas com apelo afetivo como o dia das mães. Conheça agora a origem de nossos principais feriados comerciais.


DIA DAS MÃES
Data no Brasil: Segundo domingo de maio
Data em outros lugares do mundo: Primeiro ou último domingo de maio
Porcentagem comercial: 8,4%
Como surgiu: Surgiu como uma homenagem a uma mãe americana. No Brasil, começou a ser comemorado no segundo domingo de maio a partir de 1918 e se “comercializou” a partir de 1949.
DIA DOS PAIS
Data no Brasil: Segundo domingo de agosto
Data em outros lugares do mundo: Terceiro domingo de junho
Porcentagem comercial: 8,2%
Como surgiu: Começou nos Estados Unidos em 1910, como homenagem a um pai que criou seis filhos sozinho. Lá, o feriado é em junho. No Brasil, a ideia de fazer um feriado para os pais foi do publicitário carioca Sylvio Bhering, em 1953.
DIA DOS NAMORADOS
Data no Brasil: 12 de junho
Data em outros lugares do mundo: 14 de fevereiro
Porcentagem: 7,9%
Como surgiu: Fora do Brasil, é comemorado no dia de São Valentino, que teria sido um padre romano que era contra uma lei de celibato. Aqui, a ideia foi do publicitário João Doria, que lançou uma campanha em junho de 1949 com o slogan “não é só com beijos que se prova o amor”.
DIA DA CRIANÇA
Data no Brasil: 12 de outubro
Data em outros lugares do mundo: 20 de novembro
Porcentagem: 8,4%
Como surgiu: Criada no Brasil por uma lei de 1924, a data ficou mais comercial nos anos 60, quando um diretor da fábrica de brinquedos Estrela criou uma promoção para incentivar a venda de uma boneca chamada Bebê Robusto. A ideia deu certo e a comemoração emplacou.

>Disco da semana – Veneno Antimonotonia

>“Veneno Antimonotonia” (1997) – Cássia Eller


Faixas:
1.”Brasil”
2.”Blues Da Piedade”
3.”Obrigado (Por Ter Se Mandado)”
4.”Menina Mimada”
5.”Todo Amor Que Houver Nessa Vida”
6.”Billy Negão”
7.”Bete Balanço”
8.”A Orelha De Eurídice”
9.”Só As Mães São Felizes”
10.”Ponto Fraco”
11.”Por Que A Gente É Assim?”
12.”Preciso Dizer Que Te Amo”
13.”Mal Nenhum”
14.”Pro Dia Nascer Feliz”
Some um grande compositor com uma brilhante intérprete. O resultado é “Veneno Antimonotonia”, álbum de Cássia Eller lançado em 1997 contemplando apenas composições de Cazuza.
Quatorze músicas que misturam grandes sucessos e canções menos conhecidas deste compositor que marcou a música brasileira. Cássia mostra o talento de sempre ao passear por canções tão diversas. É perfeita tanto em “Blues da Piedade” como em “Por Que a Gente é Assim?”.
Um álbum fascinante. Para aqueles que conheceram o trabalho de Cássia apenas a partir de seu Acústico, ou aqueles que só se lembram de Malandragem, “Veneno Antimonotonia” pode ser um grande achado.